Esqueça aquela conversa de “pessoas que fazem sites”. A internet cresceu, amadureceu, e agora só tem <br /> lugar para especialistas. Gente que entende do assunto e sabe exatamente o que faz. Conheça os heróis <br /> que, dos bastidores, salvam os clientes do terrível monstro do “ninguém conhece”. Eles inovam, se <br /> renovam e estão dispostos a entrar na batalha. Esqueça aquela conversa de “pessoas que fazem sites”. A internet cresceu, amadureceu, e agora só tem <br /> lugar para especialistas. Gente que entende do assunto e sabe exatamente o que faz. Conheça os heróis <br /> que, dos bastidores, salvam os clientes do terrível monstro do “ninguém conhece”. Eles inovam, se <br /> renovam e estão dispostos a entrar na batalha. Esqueça aquela conversa de “pessoas que fazem sites”. A internet cresceu, amadureceu, e agora só tem <br /> lugar para especialistas. Gente que entende do assunto e sabe exatamente o que faz. Conheça os heróis <br /> que, dos bastidores, salvam os clientes do terrível monstro do “ninguém conhece”. Eles inovam, se <br /> renovam e estão dispostos a entrar na batalha. Esqueça aquela conversa de “pessoas que fazem sites”. A internet cresceu, amadureceu, e agora só tem <br /> lugar para especialistas. Gente que entende do assunto e sabe exatamente o que faz. Conheça os heróis <br /> que, dos bastidores, salvam os clientes do terrível monstro do “ninguém conhece”. Eles inovam, se <br /> renovam e estão dispostos a entrar na batalha.
Compartilhar

Foi-se o tempo em que ter apenas uma marca feita por aquele primo que mexia no Corel, uma placa na fachada e um VT veiculando no horário do Jornal Nacional faziam de uma empresa uma marca confiável e de sucesso.

Seja para uma marca de camisetas que seu filho acabou de criar com um amigo no fundo de quintal ou para a concessionária de carros que a sua família é dona há anos, ambos devem ter uma presença digital coerente para não virar piada nas timelines por aí.

No começo, as marcas apareciam apenas nos meios de comunicação tradicionais: tv, rádio e jornal, e facilmente já estariam na ‘boca do povo’. Com o surgimento da internet veio a necessidade de também estar na web e ter um site, uma espécie de sede da empresa na rede, e essa seria a moda da vez.

Em seguida vieram as redes sociais (Twitter, Orkut, Facebook…), e mais uma vez as empresas precisaram se atualizar e fazer parte desse meio. Logo depois, os tablets e smartphones exigiram uma melhor performance dos sites para abrir nesses dispositivos. Por fim, temos os aplicativos, ou seja, uma forma de carregar uma empresa, produto ou serviço junto com você. E lá vão as empresas se adaptar mais uma vez para fazer parte desse avanço das tecnologias.

Entao, não ta fácil pra ninguém. Ou você divulga a sua empresa de maneira oficial no ambiente web e mobile, ou sua marca será mais uma perdida no turbilhão de informações que são geradas a todo momento de forma indiscriminada. A forma de relacionamento das empresas com as pessoas mudou, e o poder de decisão de compra e posicionamento das marcas está ainda mais nas mãos dos consumidores do que em outras épocas.

Para uma marca ter sucesso ela precisa: aparecer, ser vista, ser comentada, ser curtida, ser elogiada, ser defendida e, acima de tudo, precisa saber cativar o consumidor que agora fala com ela e sobre ela. Esse engajamento rápido e direto tanto pode contribuir para a construção e divulgação de uma marca como pode destruí-la com a mesma força e rapidez.

Assista ao filme que aborda esse tema com a fala de outros profissionais de web: Força do Marketing Digital

 


Compartilhar